Fundação Getulio Vargas

Por: Jonathan Vinicius

fgv

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) nasceu no ano de 1944. Seu intuito inicialmente era a preparação de pessoas qualificadas para administração privada e pública do país. Com o passar do tempo a FGV expandiu o foco de sua atuação, além da administração, aderiu as ciências sociais e econômicas.

Avançou também pelas áreas da informação e pesquisa, passou a ser um centro de excelência e qualidade. Sua missão é o avanço do conhecimento na grande área das Ciências Sociais, produzir e transmitir ideias, informações e dados, contribuindo para o crescimento socioeconômico do país e a participação no cenário internacional do Brasil.

Tendo grande importância na origem do Instituo Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), a FGV com influência da Unesco, criou um centro nacional de bibliografia. Essa ação da Unesco foi decisiva para o surgimento de instituições do mesmo tipo em vários países. O que levou a FGV se escolhida para tal criação foi o fato dela estar realizando importantes atividades na área de documentação e bibliografia na época.

Na mesma época da origem do IBCT, foi criado o Conselho Nacional de Pesquisas o CNPq, que tinha como um de seus papeis “manter relação com instituições nacionais e estrangeiras para intercâmbio de documentação técnico- científica”. Por meio de uma conjunção do CNPq com a FGV, foi criado por decreto presidencial o Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação (IBBD), que passou a fazer parte do CNPq.

A FGV produziu também bibliografias de Ciências Sociais, a história da documentação em Ciências Sociais é parte da história da FGV. Um de seus objetivos é “constituir-se em centro de documentação para sistematizar e divulgar conhecimentos técnicos”.

As Referências desta postagem, assim como de outras postagens deste site, se encontram na aba Referências no menu acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *